Cuidados ao viajar

Para quem vai viajar, a bagagem merece atenção especial, não só na hora de arruma-la, mas também no momento do embarque e desembarque. Confira algumas dicas e boa viagem!



Transporte Rodoviário

- Identifique a mala por dentro e por fora com o nome da cidade de origem e de destino;

- Carregue os documentos pessoais e objetos de valor, como jóias, também na bagagem de mão;

- Exija  que um funcionário da empresa  transportadora identifique toda a bagagem com um tíquete próprio, do qual uma parte fica com o passageiro;

- Fique atento aos pertences levados na mão, principalmente nas paradas e/ou escalas.

- Em caso de extravio da bagagem, registre a ocorrência na empresa e entre em contato com a ANTT - Agência Nacional de Transportes Terrestres.

Transporte Aéreo

- As malas, sacolas, pacotes ou bolsas de mão devem ser identificadas, dentro e fora, com etiquetas que contenham seu nome, endereço completo e telefone;

- Eventuais excessos de bagagem podem ser cobrados. Portanto, verifique com antecedência o limite de peso ou volume determinado pela companhia (deve constar no contrato de prestação de serviço). Algumas bagagens, obrigatoriamente, devem ser despachadas como carga; informe-se junto à companhia aérea, inclusive sobre o valor da taxa;

- Após o check-in, ou seja, recepção para embarque, a empresa aérea torna-se responsável pela sua bagagem e deve indenizá-lo em caso de extravio ou danos. Se preferir, para garantir sua segurança, faça uma declaração dos itens contidos na bagagem, discriminando os valores, e guarde uma via. 


- Ao chegar na área de desembarque verifique se a bagagem está nas mesmas condições deixadas no momento do check-in, em caso de avaria ou extravio, registre imediatamente a ocorrência no balcão da companhia aérea ou nas seções de Aviação Civil da ANAC instaladas em cada aeroporto.

Saiba que: Nas viagens internacionais, por medida de segurança, existem algumas restrições quanto a bagagem de mão e pertences pessoais. Existem, também, alguns itens que não podem ser levados na bagagem despachada como, por exemplo, os frágeis ou perecíveis. Verifique os procedimentos previamente junto à companhia aérea. 

Fonte: Blog do PROCON 29/05/13

  • VINÍCIUS MARCH é advogado, atuante na área de Direito do Consumidor. Para maiores informações, clique aqui.












Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Notre Dame é condenada em R$150 mil por erro médico que causou morte

ADVOGADO DIVÓRCIO EM SP

FUI DEMITIDO POR CAUSA DO CORONAVÍRUS, E AGORA?