TIM CONDENADA A INDENIZAR CLIENTES

O Poder Judiciário constantemente tem condenado a empresa de telefonia fixa e móvel e de internet 3G "TIM", a indenizar os consumidores por danos morais em razão de cobranças e negativações de débitos inexistentes.

Vejamos alguns recentes julgados abaixo colacionados envolvendo a TIM:





0042930-07.2008.8.26.0114   Apelação   
Relator(a): Helio Faria
Comarca: Campinas
Órgão julgador: 8ª Câmara de Direito Privado
Data do julgamento: 19/09/2012
Data de registro: 28/09/2012
Outros números: 990100677683
Ementa: DANO MORAL - RESPONSABILIDADE CIVIL - Contrato celebrado em nome do autor, por terceiros, junto à apelante - Débito gerado em nome do requerente, o que levou à negativação de seu nome - Aplicação da Teoria do Risco Profissional - Negativação indevida do nome do suplicante, o que merece a devida compensação, independentemente de aferição de culpa da requerida - Montante indenizatório que não pode ser irrisório, sob pena de não servir ao cumprimento de seu objetivo específico, nem pode ser excessivamente elevado, de modo a propiciar enriquecimento sem causa - Insuficiência do quantum da indenização arbitrado - Majoração do valor arbitrado para cinqüenta salários mínimos - Recurso da ré não provido e provido o recurso adesivo do autor. 

9187641-66.2009.8.26.0000   Apelação   
Relator(a): Gomes Varjão
Comarca: São Paulo
Órgão julgador: 34ª Câmara de Direito Privado
Data do julgamento: 01/10/2012
Data de registro: 03/10/2012
Outros números: 91876416620098260000
Ementa: Dano moral. Inscrição indevida do nome da autora no cadastro de inadimplentes. Culpa da ré caracterizada. Indenização devida. Todavia, tendo em vista a natureza do dano e suas consequências na vida da requerente, a indenização deve ser reduzida para R$6.220,00. Recurso parcialmente provido.

0002054-07.2008.8.26.0309   Apelação   
Relator(a): Egidio Giacoia
Comarca: Jundiaí
Órgão julgador: 3ª Câmara de Direito Privado
Data do julgamento: 25/09/2012
Data de registro: 28/09/2012
Outros números: 20540720088260309
Ementa: APELAÇÃO ? Declaratória de Inexigibilidade de Débito c/c Indenização por Danos Morais ? 1- Ausência de contratação entre as partes ? Inexigibilidade do débito reconhecida - Indevida a negativação do nome da parte autora nos cadastros de inadimplentes ? Responsabilidade da ré reconhecida ? Dano moral configurado. Aplicação do Enunciado nº 24 desta Câmara. 2- Valor da indenização arbitrado em R$ 7.000,00 que se mostra razoável na linha dos precedentes do E. STJ e das decisões desta Câmara, atendendo os princípios da proporcionalidade e razoabilidade. 3- Decisão mantida nos termos do art. 252 do RITJ ? Recurso improvido.

0220738-92.2009.8.26.0007   Apelação   
Relator(a): Egidio Giacoia
Comarca: São Paulo
Órgão julgador: 3ª Câmara de Direito Privado
Data do julgamento: 25/09/2012
Data de registro: 28/09/2012
Outros números: 2207389220098260007
Ementa: APELAÇÃO ? Declaratória de Inexigibilidade de Débito c/c Indenização por Danos Morais ? 1- Ausência de contratação entre as partes ? Inexigibilidade do débito reconhecida - Indevida a negativação do nome da parte autora nos cadastros de inadimplentes ? Responsabilidade da ré reconhecida ? Dano moral configurado. Aplicação do Enunciado nº 24 desta Câmara. 2- Valor da indenização arbitrada em dez vezes o valor da negativação, reduzido para R$ 8.000,00, valor razoável na linha dos precedentes do E. STJ e das decisões desta Câmara ? Correção monetária a partir do arbitramento (acórdão), com incidência de juros de mora a contar do fato (negativação), nos termos das Súmulas nºs 362 e 54 do E. STJ. 3- Decisão mantida, quanto à matéria de fundo, nos termos do art. 252 do RITJ, com pontual alteração relativa ao valor da indenização e consectários de juros e correção monetária, sem repercussão na sucumbência. Recurso Parcialmente Provido para estes fins.

  • Vinícius March é advogado atuante na área de Direito do Consumidor, em especial em ações envolvendo danos morais contra empresas de telefonia. Para maiores informações, clique aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Notre Dame é condenada em R$150 mil por erro médico que causou morte

ADVOGADO DIVÓRCIO EM SP

FUI DEMITIDO POR CAUSA DO CORONAVÍRUS, E AGORA?